quinta-feira

Húmus

Húmus é a matéria orgânica depositada no solo, resultante da decomposição de animais e plantas mortas.

Un Chant D'Amour - Jean Genet



Tórax

Dois homens, um corpo, uma cela - A caixa torácica.
Um homem apaixonado. O outro, isolado.
Tentam comunicar.
Ilustrações de 2006. A ideia original não foi baseada na curta metragem de Jean Genet, foi-me apresentada mais tarde quando expus estes desenhos e a história.


Rostos

Enquanto que Úbere aborda as questões da sexualidade e da identidade, Húmus, segue semelhante registo no sentido da primitividade do ser, mas neste caso, segue o comportamento humano na sociedade, salientando questões diversas de sobrevivência e poder.

Cada um de nós, reduzido à sua essência. Uma tribo que se movimenta para cumprir a sua rotina e voltar a casa para alimentar seus sucessores. A própria cidade que o homem arquitectou está a encurralá-lo.


Hans Langseth from Norway.
Quando morreu, em 1927, sua barba alcançava 5.33 metros.





.Pés de Lírio.


5 comentários:

zeh disse...

Gosto bastante mais da forma como estes estão trabalhados, em relação a "ubere". gosto imenso deste hiper-preenchimento do espaço e das imagens serem suficientemente abertas para a interpretação que cada qual faça delas :)

Anónimo disse...

De uma forma diferente... esta faceta tem um novo esplendor e um novo traço, um novo ponto de parida... denota crescimento, amadurecimento...

Uma grande preocupação social, humana, alguma revolta e um incontornável desejo de mudar o Mundo.

A inspiração de Sylvia parece-me um ponto muito forte e bem conseguido na abordagem a que te propuseste.

Para quando uma exposição?

Já tens matéria suficiente e é sem dúvida um excelente ponto de partida para vastas interpretações... tens um Livro Aberto em Forma de Quadro!

Precisamos de mais artistas como tu...

... e como o Rio que flui... já uma Nova Fase se adivinha...

O primeiro desenho representa para mim um misto de Alegoria da Caverna de Platão com um certo misticismo á mistura... o olho de Isis parece espreitar a cada contorno da tempestade de uma melena de sereia... atraindo os cascos de um navio para as profundezas... do ser humano.

Deveras interessante

zoom disse...

nao sei pq mas sinto a necessidade de dizer que nao e so desenho a relação que fazes entre todos os fragmentos que encontras pesquisas e conheces torna-os desenhos cheios. nao so pelo modo como riscas mas pelo modo como o desenho tem significado e passa para o lado de ca...
gostei, concerteza pa regressar

CHM disse...

Dantesco João... um livro que nunca acaba...uma história que nos transporta para outros lugares menos conhecidos do nosso consciente
Um tempo sem tempo
Mas que boa surpresa me saíste, ohhhhhhhhhhhhhhhhhh João!

Pedro disse...

Bem João, corri o blog todo..
és fantástico, trabalha até que te doa todo o corpo e alma, o resto acontece naturalmente.
Grande talento...

PM